Posts Tagged ‘produção de tijolos’

Forno gasta menos lenha para produzir cerâmica

junio 11, 2008

O processo utilizado pela Cerâmica Dantas (CEDAN) para produção de tijolos e telhas reduz em 2/3 o volume de lenha utilizado através das técnicas convencionais. Com a inovação, a cada mil telhas produzidas, são consumidos atualmente 700 gr. de lenha. Antes, o consumo chegava a aproximadamente dois quilos para produzir a mesma quantidade. O produto é composto por doze fornos, que acoplados uns aos outros, facilitam a transferência do calor e dos gases necessários para a combustão, com a redução do tempo utilizado para a produção das peças. Com o Forno CEDAN, são necesarias apenas 18 horas para producir de 13 a 20 mil tijolos. Nos fornos convencionais, esse processo pode levar de 30 a 70 horas. O produto final é mais homogêneo, devido à uniformidade da temperatura que circula de um forno ao outro, garantindo uma mayor competitividade na comercialização.

Folha inovasáo Edição Especial do Prêmio FINEP de Inovação Tecnológica 2007

Nº 29 • Setembro • 2007 Informativo da FINEP


www.armtecbrasil.com/upload/clipping/folha_inovacao_n_o_r_d_e_s_t_e_2007.pdf

Anuncios

Olaria

junio 11, 2008

“No Estado do Rio de Janeiro, a olaria é uma industria típica . No interior do Estado ,as olarias vão produzindo tijolos ,telhas e vasos, de maneira ainda incipiente , conservando porém a tradição da arte popular do oleiro e do ceramista.”

A atividade artesã no Estado é bastante rica e expressiva. A cerâmica é um dos itens mais explorados e é no Município de Itaboraí onde se concentra a maior parte dos artesãos e das olarias – responsáveis, principalmente, pela produção de tijolos e telhas.

Nos diferentes estágios em que o barro se apresenta oferece ao homem aplicação vantajosa, a começar, naturalmente, pela construção da casa onde, como é sabido, sua utilidade não se limita somente às paredes toscas ou de alvenaria; na cerâmica rudimentar ou nos mais lavorados biscuits a argila tem uso freqüente, marcando algumas das principais atividades humanas. No fabrico de tijolos para construção, indústria próspera em todo o país, hoje altamente mecanizada nos grandes centros, os processos primitivos ainda empregados nos rincões mais afastados, onde a maquinaria e novas técnicas, em virtude do seu alto custo, não penetraram sensivelmente, permitindo se conservem quase sem modificações os rudimentos que a tradição vem transmitindo há vários séculos.

O local preferido para a instalação de uma olaria é o baixio ou brejo, cujos leitos rasos, mas cheios de material aluvionar, oferecem colheita fácil de boa matéria-prima, além de, pelo baixo nível do solo fornecer água em abundância, vantagem pela qual pode ainda uma olaria, apesar de situar-se em um vale, extrair barro de morros circunjacentes, como acontece repetidas vezes no estado do Rio.

http://www.brasilcult.pro.br/brasil_antigo/viajandobr/viajandobr03.htm